domingo, 24 de outubro de 2010

Serenata a uma pretensiosa (1945), Joaquim de Barros



A poesia está inscrita numa fonte em Folgosinho, Serra da Estrela, Portugal.

É uma raridade: além de singulares, esses versos são atribuídos a um poeta português esquecido e perdido no tempo, um certo Joaquim de Barros. É a última estrofe de "Serenata a uma pretensiosa" (1945):

Não procures subir alto
Modera as tuas canseiras
Há muitas vezes, a beleza
Mesmo nas ervas rasteiras.

Nas tuas unhas condiz
Teu modo de ostentação
Por fora sobra verniz
Por dentro falta sabão.

Nem sempre uma linda cara
Traduz encanto no mundo
Há mil fontes de àgua clara
Cheias de lodo no fundo.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Enquanto isso, na Rorizlândia...

Balõezinhos by Davi® 
  
Obs.: essa imagem NÃO foi photoshopada. Ela estava realmente usando um chapéu vermelho. Duvida? Vá ao site dela, se tiver disposição para tanto: http://weslian.com.br/

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Prova da existência de Deus



Toda vez que desejo calar a boca dos meus amigos ateus, basta que eu mostre a eles uma fotografia de Jennifer Connelly.

Ela é a mais absoluta prova da existência de Deus.

Olhe bem pra ela e me diga: como o CAOS, como o ACASO poderia conceber a beleza dessa mulher?

domingo, 6 de junho de 2010

A vingança do comunista na latinha de Coca-Cola


Certa vez, Roberto Campos (vulgo Bob Fields) disse o seguinte, a respeito da cidade de Brasília:

“Foi a vingança de um arquiteto comunista contra a sociedade burguesa”.

Recentemente, por ocasião dos 50 anos de Brasília, a Coca-Cola lançou uma versão de suas latinhas em volume de 270 ml com todas as obras de Oscar Niemeyer existentes na cidade estampadas em sua superfície (incluindo a escultura Os Candangos, que é obra de Bruno Giorgi).

O que terá dito Oscar Niemeyer quando viu isso?

Ou melhor: o que diria o falecido Roberto Campos se visse isso?

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Flores do Mal

Se eu disser que há uma canção do rock brazuca chamada "Flores do Mal", aposto como 90% das pessoas dirão "ah, é aquela música da Legião Urbana, né?" ("Mentir é facil demais...") . Lamentavelmente, pouca gente conhece uma música de mesmo nome, de 1992, que é uma canção underrated do Barão Vermelho, beeeem mais bela que a da Legião:


video


Não me retalhe em escândalos
(...)
Não me esqueça por tão pouco
Nem diga adeus por engano
Mas é sempre assim
A mesma mão que acaricia, fere e sai furtiva
Faz do amor uma história triste
O bem que você me fez nunca foi real
Da semente mais rica, nasceram flores do mal


É incrível como me sinto, hoje, devidamente contemplado pelos versos desta música. E ao mesmo tempo que é doloroso pensar naquilo que ela me faz lembrar, é reconfortante ouvi-la - como se o meu próprio desabafo estivesse sendo ali cantado, como único consolo restante. Masoquista, eu? Não... humano, demasiadamente humano.